Como funciona a Criatividade

Escolha cuidar de Você, faça Terapia.

Como funciona a Criatividade

11 de novembro de 2019 A Mente Criatividade 0

Como funciona a Criatividade

O que diferencia o ser humano de outras espécies é sua capacidade de pensar, imaginar, criar e modelar a natureza. É o fogo criador que todo ser humano carrega dentro de si. A criatividade é a capacidade de criar o novo, o que ainda não existe em nosso mundo físico. É esse poder que transforma toda a vida humana, onde moramos, o que comemos, como nos comunicamos, tudo tem influência direta de nossa criatividade, de nosso poder de criação. Todo ser humano nasce criativo, enquanto crianças vivemos imersos em criatividade, e ao longo de nosso crescimento, somos guiados a abandoná-la e seguir padrões.

No cenário atual, onde se pode produzir “qualquer coisa”, a criatividade, mais do que nunca, tem um papel fundamental no mundo do empreendedorismo. É através de nossa criatividade que iremos modelar, projetar, construir e testar novos produtos e serviços. Como podemos fazer diferente? O que podemos fazer diferente? É através de nossa criatividade que podemos achar essas respostas e solucionar diferentes tipos de problemas. A criatividade está ligada a todas as áreas de atuação do ser humano, nas artes, na ciência, nos negócios, na filosofia, na sociedade, entre outras; cada qual se conecta à criatividade de um modo diferente.

Toda a destruição criativa do empreendedor vem de sua criatividade, de sua capacidade de solucionar problemas e criar soluções que gerem valor. Essas soluções, produtos e serviços que tem o poder de derrubar modelos de negócio tradicionais, são desenvolvidas com base na criatividade. A maior parte dos grandes negócios surgiu e se mantêm graças as ideias criativas, o Google quer organizar todas as informações do mundo, a Apple quer transformar tecnologia em arte. É possível dizer que o empreendedorismo e a criatividade andam de mãos dadas, sendo a criatividade uma importante força para o equilíbrio do empreendedor de sucesso.

“A criatividade não é um talento, é uma forma de operar”

John Clees

A criatividade usa todo o potencial emocional e mental do ser humano, utilizando a mente concreta, o intelecto, nas etapas iniciais de observação, definição de escopo, exploração e busca de solução; e a mente abstrata, ligada a nosso eu universal, de onde vem todos os insights criativos, intuições, inspirações e visão do todo. O indivíduo criativo tem, diante de si, duas opções: seguir a multidão – e repetir conceitos – ou trilhar um rumo completamente diferente, mutias vezes na direção oposta.

Como funciona o processo criativo

A mente e o Processo Criativo

“Criatividade é a capacidade de formar mentalmente ideias, imagens e coisas não-presentes ou dar existência a algo novo, único e original.”

Duaibili & Simonsen Jr.

A criatividade é uma técnica de resolver problemas, de criar soluções e coisas que ainda não existem. Essa técnica pode ser aplicada a qualquer atividade humana, como a medicina, a sociologia, o marketing, o empreendedorismo, a educação – a tudo.

Ela não é verificável. A criatividade é Heurística.

CRIATIVIDADE, do latim creare, capacidade de criar, produzir ou inventar coisas novas.

HEURÍSTICA, do grego heuriskein (descobrir), não verificável, baseado em tentativa e erro.

Como colocar a criatividade em prática, buscando solução para problemas reais? Podemos dividir o processo criativo em cinco etapas estratégicas para a solução de problemas. Essas etapas nem sempre seguem uma sequência, e não acontecem linearmente, é possível avançar e voltar livremente diversas vezes no processo.

As etapas do processo criativo

1. PREPARAÇÃO
Na primeira etapa do processo criativo buscamos identificar o problema. Que tipo de problema deve ser resolvido? O que queremos resolver? Quando pensamos em um problema, seja ele cotidiano ou cientifico, em primeiro lugar o enunciamos mentalmente, o criamos em nosso pensamento concreto. É nesse momento que nosso intelecto deve ficar solto, observando e buscando oportunidades. Deixe sua mente explorar sua imaginação, use toda sua curiosidade em seu favor. Na preparação fazemos uma profunda reflexão sobre o problema, montamos esquemas, modelos mentais, rabiscamos e pensamos ativamente. Buscar ter uma visão ampla sobre a questão com liberdade mental para explorar diversas opções.

2. INCUBAÇÃO
Na fase de incubação observamos as reações e associações de ideias que o problema produz em nossa consciência, e tentamos verificar se essas derivações trazem alguma luz para a solução do problema. O processo de incubação se desenvolve em sua maior parte no plano do inconsciente, ou na faixa do pré-consciente. Nem sempre a solução é encontrada, então, é preciso descansar e voltar a trabalhar posteriormente na solução. Nessa pausa, o processo lançado no subconsciente não se detém, e de forma silenciosa, de acordo com a intensidade do delineamento e do desejo de encontrar a solução, estabelece-se uma atividade correlata em nossa mente abstrata. É nesse momento que devemos deixar nosso intelecto de lado, silenciar nossa mente concreta, e irmos em busca da iluminação de nossa ideia.

3. ILUMINAÇÃO / INSIGHT
A etapa de iluminação é basicamente involuntária do ponto de vista intelectual. Depois de algum tempo, que pode variar de dias, meses até anos, através dos Lampejos de Inspiração, a solução do problema se apresenta subitamente, surge o insight. O insight é aquela ideia “genial” que surge quando menos esperamos, é o “Heureka”, é o estalo da criatividade, processado pela mente abstrata, ligada a nosso eu universal. É a súbita compreensão das relações entre meios e fins. Aparece em geral sem esforço consciente. É necessário estar aberto à mente abstrata para que se possa receber um insight. Essa abertura se dá quando estamos com a mente concreta em silêncio e com isso podemos nos conectar à mente abstrata, para receber o tão desejado insight criativo.

Casos Famosos:

Einstein descobriu certos elementos da teoria da relatividade ao observar que do sobrado de uma casa caía um homem que se segurava em uma corda.

Newton há muitos anos tentava resolver alguns problemas, e foi quando relaxava embaixo de uma macieira e uma maçã caiu no chão que ele teve o insight da  teoria da gravidade.

4. ELABORAÇÃO E VERIFICAÇÃO
Na última etapa do processo criativo, depois que já tivemos o insight sobre problema, e o julgamos satisfatório, inicia-se a etapa de elaboração. Nessa etapa elabora-se a solução do problema a partir do insight obtido, retomamos o uso de nosso instrumento intelectual para que possamos refinar, aprimorar e moldar a solução do problema. É preciso também verificar se a ideia adotada como solução do problema representa, de fato, a sua verdadeira solução. Essa é a etapa do trabalho duro, onde a solução do problema deve ser explorada e transportada para o mundo real. Independentemente do que seja, ela agora fará parte do mundo físico e seu sucesso ou aceitação dependerá de como o insight será trabalhado e transformado em solução.

CRIATIVIDADE NA VISÃO TEOLÓGICA

Insights divinos

Inspiração, algo ou alguém que inspira, que incita a capacidade de criação.

Entusiasmo, do grego “enthousiasmos“, estar possuído por Deus, infusão do poder da inspiração no homem.

No teto da capela sistina a pintura de Michelangelo, o homem recebendo um insight da mente de deus.

CRIATIVIDADE NA VISÃO MECANICISTA

A mente criativa na visão mecanicista

Resolução de Problemas

A criatividade consiste na resolução de problemas pela combinação de ideias antigas para se fazer algo novo, ou seja, os computadores também podem ser criativos como os seres humanos e até mais. Você deve tentar várias combinações de velhos contextos já utilizados.

Pensamento divergente: pensar em muitas combinações alternativas de contextos aprendidos

Pensamento convergente: Manter o foco e usar a razão para organizar as alternativas encontradas pelo pensamento divergente.

CRIATIVIDADE NA VISÃO QUÂNTICA

A Criatividade na Visão Quântica

Teoria criada pelo físico Ph.D Amit Goswami, que utiliza a física quântica para explicar o processo criativo. A criatividade é fruto da combinação de processamento consciente e inconsciente.

A criatividade é intencional, a vontade e a motivação são fatores cruciais na busca criativa. Experiências interiores, sensações, pensamentos, emoções e intuição são partes essenciais do processo.

Processamento inconsciente é processamento quântico – um processo simultâneo de muitas possibilidades. Ideias criativas encontram-se inativas, como possibilidades da mente e do supramental. Todos podem ser criativos.

  • Supramental: Inteligência além da mente, de onde surgem poderosos insights.
  • Não localidade: comunicação não local desprovida de sinais. Como nos casos de pessoas que vivem em locais diferentes, nunca se viram e tiveram o mesmo insight.
  • Descontinuidade: Não segue o passo-a-passo do pensamento lógico, ele surge repentinamente na mente consciente através do insight descontínuo.
  • Objetos quânticos existem em dois níveis, no transcendente (inconsciente), como possibilidades, e no nível imanente (consciente) como percepção consciente.
  • Mudanças de contexto são necessárias para a criatividade existir. Funcionam como no exemplo a seguir: é possível fazer um vestido de tijolos? Saia da caixa, tenha liberdade mental.
  • O processamento inconsciente é a geração na mente não local de ondas quânticas transcendentes de muitas possibilidades.

“Com um longo jogo de fazer-ser-fazer-ser-fazer, alternando-se vontade e entrega, persistência e relaxamento, processamento consciente e inconsciente.”

– Amit Goswami

Dúvidas, sugestões, opiniões?