Design Thinking no empreendedorismo

Propósito, Espiritualidade e Negócios

Design Thinking no empreendedorismo

11 de novembro de 2019 Sem categoria 0

Design Thinking no empreendedorismo

Design Thinking é uma abordagem para encontrar soluções inovadoras e criativas para problemas, com foco nas necessidades reais do mercado. Seu objetivo é criar soluções que tragam satisfação para o cliente, o que só pode ser atingido ao conhecer suas reais necessidades, desejos e percepções. Ele é baseado em nossa capacidade de sermos intuitivos, reconhecermos padrões, desenvolvermos ideias que tenham um significado emocional além do funcional, de nos expressarmos em mídias indo além de apenas palavras ou símbolos. ODesign Thinking traz diversas vantagens, como a velocidade e o baixo custo para geração de inovação de valor; ele depende do trabalho em equipe e não de “gênios criativos” e leva em conta o conhecimento tácito das pessoas e experiências com protótipos, não dependendo de extensas pesquisas quantitativas.

Design Thinking é uma importante ferramenta para a etapa de “observação, insight, exploração e criação” de uma startup. Compartilho a opinião de que ele não é uma ferramenta completa, que possa ser usada para todo o ciclo de criação de uma startup, mas complementa com excelência os conceitos da Startup Enxuta.

“A inovação se tornou nada menos do que uma estratégia de sobrevivência.”
Tim Brown

Não existe uma “melhor forma” de percorrer o processo de solução de problemas com inovação. O Design Thinking é fundamentado no processo exploratório, sua missão é a de traduzir observações em insights, e estes em produtos e serviços que melhorem a vida das pessoas. Ele é importante para enfrentar a cultura atual da eficiência, que dificulta a criatividade e a inovação.

Alguns dos conceitos do Design Thinking:

  • Falhe muitas vezes para ter sucesso mais cedo.
  • Foco no ser humano.
  • É melhor assumir uma abordagem experimental: compartilhar processos, incentivar a propriedade coletiva de ideias e permitir que as equipes aprendam umas com as outras.
  • Boas ideias devem ter: praticidade, viabilidade e desejabilidade.
  • Em uma equipe multidisciplinar, cada pessoa defende a própria especialidade técnica. Em uma equipe interdisciplinar, todos se sentem donos das ideias e assumem a responsabilidade por elas.
  • Design Thinking busca liberar a criatividade.
  • Desenvolve uma cultura onde é melhor pedir perdão depois, em vez de permissão antes, que recompensa as pessoas pelo sucesso, mas lhes dá permissão para falhar, removendo um dos principais obstáculos à geração de novas ideias.
  • Design Thinking é uma mentalidade incorporada – incorporada em equipes e projetos, mas também nos espaços físicos de inovação.
  • Flexibilidade é fundamental.
  • Mudar a cultura de hierarquia e eficiência para uma de risco e exploração. As pessoas que conseguem fazer essa transição com sucesso provavelmente se tornarão mais envolvidas, mais motivadas e mais produtivas do que nunca.

“Se eu perguntasse a meus clientes o que eles queriam, teriam respondido ‘um cavalo mais rápido’.”
Henry Ford

Design Thinking tem cinco etapas principais:

1º – Identificar onde existem oportunidades de inovação;
2º – Descobrir a oportunidade de inovação;
3º – Desenvolver a oportunidade de inovação;
4º – Protótipos – teste da ideia;
5º – Planejar e implementar a solução.

Durante as etapas do Design Thinking são usadas diversas técnicas e ferramentas:

Pensamento visual: Conceber uma imagem mental de uma ideia, a partir de desenhos, gráficos, imagens ou qualquer representação visual que vá além de palavras e números.

Pensamento integrativo: Explorar ideias opostas para construir novas soluções. Ampliar o escopo de questões relevantes, buscando soluções não lineares e multidirecionais. Conseguir extrair o fundamental em meio ao caos, ao excesso de variáveis e a complexidade das coisas. É sintetizar ideias a partir de fragmentos, é conseguir observar o todo ao invés de apenas uma parte.

Insights: Observando com empatia o comportamento das pessoas e como elas lidam com o seus problemas, é possível ter insights de soluções inovadores para esses problemas. O insight é a descoberta que surge depois da reflexão sobre o problema.

Mapa mental: Ajuda na exploração do pensamento divergente, como ferramenta que possibilita a criação de um modelo mental de busca de alternativas, caminhos, soluções, respostas, possibilidades que sejam, sempre que possível; criativas, lógicas, estruturadas, estranhas, factíveis, duvidosas, de todo o tipo, para que se possa explorar e chegar às melhores soluções.

Prototipagem: É a versão física de um produto, podendo ser uma versão rudimentar do mesmo. Sua importância se dá pelas possibilidades de enxergar o produto concretamente, abrindo diversas possibilidades de aprimorá-lo. Serviços e tipos diferentes de produtos também podem ser prototipados através de storytelling, experiencias simuladas e maquetes de projeção.


Você experiência com Design Thinking? Compartilhe, contribua analise, mande seu feedback! Vamos construir melhores conceitos e definições juntos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *